Rua Polignano A’Mare, 51 - Brás
Cep: 03005-040 - São Paulo, SP

Secretaria
Artigos › 30/03/2020

Nos momentos de turbulência Jesus tem um pedido para nós

cross-1979473-640

No Evangelho de Mateus 14, 22-33, Jesus envia os discípulos à sua frente de barco, enquanto Ele despedia as multidões e se retirava para orar.

Durante a travessia, o vento forte e a tempestade ameaçam o barco, deixando os apóstolos cheios de medo. Em meio a este cenário eles vêem Jesus caminhando sobre as águas e ficam ainda mais assustados.

O mestre, então, pede que se acalmem. Pedro, querendo confirmar que é mesmo Jesus diz: “se és Tu, manda-me ir sobre as águas até Ti” (14, 28). Mas assim que desceu do barco e começou a caminhar, Pedro sentiu o vento ainda mais forte, ficou com medo, começou a afundar e gritou: “Senhor, salva-me!” (14, 30)

Ao estender a mão a Pedro, Jesus o segurou e disse-lhe: ‘Homem de pouca fé, por que duvidaste?” (14,31)

E assim que subiram ao barco o vento parou.

Podemos tirar muitas lições deste Evangelho. Num primeiro instante os apóstolos parecem estar abandonados por Jesus. Mas foi durante a tempestade que o Senhor foi ao encontro deles, caminhando sobre as águas. Pedro quer ir ao encontro do mestre e pede que Jesus o ajude a caminhar sobre as águas (superando medos e problemas). Mas no momento em que Pedro deixa de prestar atenção ao seu destino (que é o encontro com Jesus) começa a afundar. É quando nossa fé se enfraquece que nos sentimos sufocados pelos problemas à nossa volta.

Outro ponto importante a destacar é que Jesus não acalmou a tempestade para que Pedro caminhasse sobre as águas. E quando o apóstolo estava afundando, o Senhor o salvou primeiro, para depois por fim à tempestade. Jesus pede que confiemos nas suas Palavras. Em meio aos ventos que nos ameaçam, às ondas que agitam nossas vidas, Ele é a nossa salvação.

Tem uma frase sobre fé que diz assim: primeiro você dá o passo, depois Deus coloca o chão. Façamos essa experiência de confiar em Jesus.

Somos humanos, fraquejamos com frequência, por isso façamos como o pai do jovem epilético curado por Jesus (Marcos 9, 14-29) “Creio! Vem em socorro à minha falta de fé!”

Via Aleteia

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.